Alimentação

Sabe o que está a comer?

A alimentação saudável tem sido uma preocupação crescente para todos nós. A incidência de determinadas doenças tem sido muito maior no decorrer dos últimos anos e pensa-se que esse aumento possa estar, muitas vezes, relacionado com a alimentação.

Afinal, somos o que comemos? Esta é, sem dúvida, uma frase que todos ouvimos com muita frequência e, naturalmente, somos despertados para algo que, até então, talvez ainda não tivéssemos pensado muito. A consequência, inevitavelmente, é a procura de possíveis adaptações à alimentação, de forma a que esta seja o mais natural e saudável possível.

Como procurar uma alimentação mais saudável e variada?

Conseguir encontrar um equilíbrio na alimentação não é algo que aconteça de uma forma instantânea e requer informação, aconselhamento e ajustes constantes. Além de percebermos que alimentos devemos consumir e em que medida estes devem ser integrados na nossa rotina alimentar, é fundamental que aprendamos a olhar um pouco para os rótulos de todos os produtos que frequentemente compramos. Este não é, certamente, um hábito da grande maioria das pessoas, mas é um aspeto que devemos ter mesmo em conta.

Sabe como ler um rótulo?

Rótulos. Quantos de nós param uns segundos para ler um rótulo quando vamos às compras? Acredito que sejamos cada vez mais, mas esta não é ainda uma prática tão comum quanto seria desejável. E, por isso, aqui ficam algumas dicas.

Quando vemos um rótulo, reparamos que os ingredientes aparecem por ordem decrescente, ou seja, o que aparece em primeiro lugar é aquele que está presente em maior quantidade. Por isso, são de evitar os produtos que no topo da lista de ingredientes como gorduras, óleos e açúcares (mesmo os açúcares que aparecem disfarçados com nomes como maltose, glucose, frutose, dextrose e outras designações). E vamos também reparar que muitos produtos apresentam no final da lista aquele ingrediente que deveria ser a base desse próprio produtos, tudo o resto são aditivos, intensificadores de sabor, gorduras, açúcares…

Um rótulo deve ser interpretado tal e qual uma receita de culinária. Se conseguir identificar grande parte dos ingredientes é muito bom sinal! Se, por outro lado, a lista for longa e complexa e não conseguir identificar, ou até mesmo pronunciar, os nomes de alguns ingredientes, é sinal que deve pensar duas vezes antes de consumir esses produtos.

A importância dos rótulos

Mas, afinal, que valores devemos ter em conta na análise de um rótulo?

Para além do que já falamos, deve sempre ter em conta as percentagens de açúcar, sal e gorduras. Idealmente, devemos selecionar os produtos que apresentam baixas quantidades de açúcar, entre 5 a 10 g de açúcar por cada 100g de produto. Quanto menos, melhor!! Mas esta é uma tarefa complicada… experimente e vai perceber a dificuldade em encontrar produtos que vão ao encontro destes parâmetros! Não são assim tantos os produtos que apresentam teores baixos de açúcar… E tenha sempre também atenção às quantidades de sal e gorduras…

Para além disso, é importante que verifique também os aditivos presentes. Mas, como nem todos são prejudiciais, é preciso procurar informação sobre cada um deles. Para esse efeito, a DECO oferece aos consumidores uma ferramenta que permite simular o nível de segurança dos aditivos nos alimentos.

Aprendi a analisar um rótulo. E agora?

Muito provavelmente o facto de conseguir analisar com algum detalhe os rótulos de alguns produtos é, agora, um motivo de preocupação. E isto porque, até então, não fazíamos a mais pequena ideia da quantidade de ingredientes desnecessários que cada produto contém. Mas, mais do que desnecessários, são muitas vezes ingredientes prejudiciais e com um impacto a longo prazo bastante negativo na nossa saúde. Ler rótulos dá-nos a possibilidade de sermos mais criteriosos nos produtos que escolhemos e permite-nos a escolha, ou seja, podemos sempre optar por aqueles produtos que nos parecem mais seguros, com menor número de aditivos e outros ingredientes facilmente dispensáveis. Se, efetivamente, começarmos a abdicar destes alimentos altamente processados, é já um enorme passo para uma alimentação mais saudável e sustentada.

Claro, não deve agora, de repente, eliminar todos os alimentos cujo rótulo lhe pareça mais dúbio. Deve sim, estar atento e começar a tomar decisões mais conscientes relativamente aos produtos que consome. E, sempre que possível, deve substituir os alimentos processados pelos alimentos mais naturais.

Mais energia, vitalidade e saúde pois, afinal, somos mesmo o que comemos!

Similar Posts