Alimentação

Superalimentos ou uma supertendência?

O interesse por uma alimentação saudável tem sido crescente ao longo dos últimos anos e é um tema que tem sido bastante desenvolvido e explorado por variadas razões.

Uma alimentação saudável e equilibrada permite que o nosso organismo receba todos os nutrientes necessários que lhe permitam funcionar em pleno, reduzindo também o risco de potenciais doenças.  Manter uma dieta ou uma alimentação equilibrada implica o consumo de uma grande variedade de alimentos que fazem parte da pirâmide alimentar. Não menos importante é a quantidade que ingerimos de cada um desses alimentos, isto é, ingerirmos a quantidade ideal de cada alimento fará toda a diferença no impacto que isso terá na nossa saúde.

A importância da alimentação saudável

As vantagens associadas a uma alimentação equilibrada e saudável são várias e todas elas, sem exceção, contribuem para uma melhoria acentuada do nosso bem-estar.

A questão da perda de peso é, talvez, a que mais se associa a esta questão da alimentação. No entanto, está longe de ser a única. Convictamente, podemos também afirmar que o equilíbrio na variedade de alimentos que ingerimos conduz a um aumento dos nossos níveis de energia e, paralelamente, a uma redução dos níveis de stress. Manter uma dieta saudável vai também tornar-nos pessoas mais bem-dispostas e, muito provavelmente, auxiliar-nos na prevenção e tratamento de determinadas patologias.

À medida que vamos explorando um pouco mais os princípios de uma dieta equilibrada, percebemos que existem alimentos que desempenham um papel ainda mais importante para a nossa saúde. E, apesar da sua designação não oficial, são conhecidos como superalimentos.

O que são superalimentos

Os superalimentos são alimentos que, além de suprirem as nossas necessidades nutricionais, trazem também muitos benefícios para a saúde pois são extremamente ricos em vitaminas e minerais, em fibras, ácidos gordos essenciais e até mesmo em antioxidantes. Apesar de os alimentos que vamos falar de seguida serem considerados benéficos para a saúde, devem sempre ser integrados num regime alimentar variado de forma a que as suas propriedades possam ser potenciadas.

Que superalimentos existem?

Há continuamente estudos a serem desenvolvidos para que se identifiquem novos superalimentos e para que melhor se conheçam as suas propriedades. Por isso, hoje deixamos apenas alguns exemplos de superalimentos já conhecidos.

Açaí

Uma pequena mas incrível baga consumida há milhares de anos pelos índios brasileiros. Possui um elevadíssimo poder antioxidante e pode ser consumido, por exemplo, através de polpa. Contribui ativamente para o aumento dos níveis de energia e vitalidade e também para o reforço do sistema imunitário, reduz o risco de doenças cardiovasculares e processos inflamatórios e tem um fantástico poder de antienvelhecimento.

Erva de trigo

É produzida através das folhas jovens do trigo e, por essa razão, é isenta de glúten. É muito importante a nível do reforço do sistema imunitário, é um poderoso anti-inflamatório e pode mesmo ajudar nas dores provocadas por problemas reumáticos.

Spirulina

A spirulina é uma alga rica em proteínas, aminoácidos, vitaminas, minerais e betacaroteno tendo, por isso, um papel muito importante no nosso sistema imunitário. Funciona também como anti-inflamatório e antioxidante.

Chia

A semente de chia é a fonte de óleos gordos ómega-3, de origem vegetal, mais rica descoberta até hoje. É também riquíssima em fibras, antioxidantes, proteínas, vitaminas e também minerais e, por essa razão, é considerada extremamente eficaz na sua ação anti-inflamatória e no combate a várias doenças.

Cânhamo

As sementes de cânhamo são um dos alimentos mais completos e nutritivos que existem. Contêm proteína e uma elevada quantidade de ácidos gordos essenciais, minerais e fibra. O seu consumo é altamente benéfico para a nossa saúde.

Cacau

O cacau é, provavelmente, o mais conhecido e mais poderoso antioxidante. Contém altas quantidades de flavonóides, vitaminas, minerais, cálcio e magnésio. O cacau protege o coração de doenças cardiovasculares, aumenta a nossa boa disposição e estimula ativamente o nosso cérebro. É, por isso, um ingrediente absolutamente fundamental no nosso regime alimentar.

Açafrão-da-índia

O açafrão-da-índia, também conhecido como curcuma, é frequentemente usado em receitas com caril. No entanto, a sua aplicação vai muito mais além, sendo um importante auxiliar na função digestiva e um poderosíssimo antioxidante e anti-inflamatório.

Linhaça

Esta semente tem origem no linho e possui uma enorme quantidade de nutrientes capaz de auxiliar na prevenção de inúmeras doenças, ao mesmo tempo que potencia um bom funcionamento do nosso organismo. Estas sementes são ricas em ómegas 3 e 6, fibras, proteína, minerais e também vitaminas.

Aveia

A aveia é possivelmente um dos cereais mais consumidos atualmente e são muitos os benefícios atribuídos ao seu consumo. Este é um alimentos bastante completo e que contém altos teores de proteína, vitaminas, minerais, fibra e também hidratos de carbono de baixo índice glicémico.

O consumo dos superalimentos

A lista de alimentos aos quais se tem atribuído a designação de “super” é já bastante extensa. Enumeramos alguns deles, mas, na verdade, ainda ficaram muitos por falar. Podemos ainda mencionar, também, a quinoa, nozes, maca peruana, matcha, as famosas bagas gogi e os nossos tão conhecidos mirtilos. Todos estes alimentos possuem propriedades que podem conferir muitos benefícios à nossa saúde, mas não devem, no entanto, ser consumidos de forma desmedida. O seu consumo deve sempre ser moderado e plenamente integrado numa alimentação tão variada quanto possível.

Similar Posts